Main menu

Blog

I Demonstração de Artes Marciais em Estremoz

Realizou-se a primeira demonstração de Artes Marciais em Estremoz, no dia 27 de Outubro, organizado pela Associação Portuguesa Aikishurendojo. 

Os espectadores tiveram a oportunidade de, num curto período de tempo, assistir a variadas demonstrações de diferentes artes marciais. Foi uma boa experiência, tanto para praticantes de qualquer uma das artes demonstradas, que puderam observar o trabalho que se tem realizado nas diferentes artes marciais em Portugal, como para não praticantes que ficaram a conhecer alguns sistemas de defesa pessoal. 

Desde artes marciais chinesas, como o Kung Fu, às japonesas, como o Karate, Aikido, Judo, Iaido, Kendo, Shurikenjutsu e Kyudo, passando pelo Tawekondo, arte marcial coreana, e ainda uma arte marcial portuguesa, o jogo do pau, todas elas tiveram o seu momento de destaque nesta demonstração, oferecendo-lhe a oportunidade de apresentar o trabalho que realizam ao longo do ano. 

Parabéns pela iniciativa, ficamos a aguardar a segunda demonstração de Artes Marciais em Estremoz. 

Media

Read more...

Como construir uma Makiwara

A Makiwara é um aparelho tradicional de treino de karate. Maki significa enrolar e Wara palha, pelo que Makiwara significa literalmente palha enrolada. Este aparelho, é utilizado para melhoramento da técnica. Vista de frente consiste numa tábua direita e de lado apresenta um corte na diagonal, havendo uma parte da tábua que fica enterrada no solo, sendo esta reforçada por braços transversais. A forma afunilada dá à Makiwara a sua característica mais importante, proporcionando resistência progressiva às pancadas do praticante, ou seja, com quanto mais força se atinge, maior é o retorno. É este feedback instantâneo que é tão benéfico para o karateka.

Neste artigo vamos apresentar algumas ideias de como construir uma Makiwara tradicional.

 

O treino da Makiwara é essencial para desenvolver a técnica e o kime. Através de uma prática diligente na Makiwara aprende-se como transmitir toda a força do corpo no momento exacto do impacto, da mão para um objecto. Outro benefício importante é que esta prática irá forjar um espírito forte. Morio Higaonna, Hanshi

 

Material necessário

  • Barrote de madeira, com 10 cm x 10 cm e com um comprimento de 240 cm
  • Serra de mesa ou uma serra circular
  • Cuprinol
  • Silicone líquido
  • Poste de metal para buracos
  • Escavador do furo de borne
  • Máquina abre buracos/ perfurador de solo (alternativa aos dois itens anteriores)

 

               

A Makiwara que aqui é apresentada teve um custo total de 165 €, correspondendo 130 € ao preço da madeira e mão de obra do marceneiro, 20 € ao cuprinol e 15 € ao silicone líquido. O restante material não está contabilizado, pois já havia sido adquirido.

Uma maneira fácil de fazer um Makiwara é começar com um poste de madeira de 10 x 10 x 240 cm de comprimento. A madeira deverá ter o mínimo de nós possível e os veios da madeira devem ser paralelos ao comprimento do poste. Uma boa opção é a casquinha vermelha, por ser uma madeira resistente.  A altura da Makiwara deverá ser idealmente um pouco abaixo da altura dos ombros (quando se assume a posição de base para golpear a mesma). A parte inferior do poste poderá ter a largura do barrote 10 cm x 10 cm. No topo, a Makiwara deverá ter entre 1.3 cm a 1.9 cm de espessura.

Para cortar a madeira, pode usar uma serra de mesa ou uma serra circular. Meça a altura desejada e desenhe uma linha recta na madeira e corte ao longo da linha. Se estiver a usar uma serra circular, é recomendado usar uma das serras de grande diâmetro, para que corte a madeira numa única passagem. Se estiver a usar uma serra circular com uma lâmina menor, terá de fazer dois cortes de junção, o que requer muita precisão. Trabalhe em segurança e tenha em atenção o retorno. Nunca trabalhe com o corpo directamente atrás da serra, sempre ao lado. Caso não tenha o material necessário para fazer o corte, ou mesmo um veículo onde possa transportar um barrote tão grande, pode pedir a um marceneiro que realize esta etapa.

Uma vez cortado, desenhe uma linha à volta do poste para marcar a zona que irá ficar à superfície do solo. Esta linha deverá ser marcada com uma altura de 90 cm. Uma vez enterrada a Makiwara, a linha será nivelada com o solo. Agora, corte duas peças de 46 cm de madeira com 10 cm x 10 cm. Estas peças são os braços transversais que vão dar estabilidade à secção enterrada da Makiwara. Use parafusos ou parafusos de madeira compridos para afixar os braços transversais ao poste. O braço de cima deverá estar distanciado 15 cm abaixo da superfície do solo e o braço inferior 15 cm da parte inferior do poste. Uma vez enterrado, o braço inferior estará de frente para o karateka, enquanto que o superior ficará afastado.

 

 

Antes de enterrar a Makiwara, é útil investir algum tempo na proteção da madeira. Obtenha um bom protector de madeira, como por exemplo o cuprinol. Apesar de haver cuprinol incolor, é útil aplicar um com cor, desta forma torna-se mais fácil verificar se o mesmo foi absorvido. Siga as instruções no recipiente, e aplique a proteção de madeira em toda a Makiwara, dando especial atenção à área que estará enterrada. Depois de seco poderá reforçar a protecção com silicone líquido, desta vez apenas na parte enterrada e 15 cm acima da linha do solo. Se aplicar o produto na madeira periodicamente (uma vez por ano) aumenta a sua durabilidade.

Tradicionalmente a Makiwara é instalada enterrando-a no chão, o que exige cavar um buraco com pelo menos 90 cm de profundidade, somando ainda a altura de gravilha que se irá colocar. Dependendo do solo do local onde mora, esta tarefa poderá demonstrar-se bastante difícil. O ideal será fazer o buraco no inverno, quando o solo tem mais humidade. Feito o buraco, deverá encher o fundo com 5 a 7 cm de gravilha solta, que irá permitir uma boa drenagem, criando uma área que mantem o poste longe de qualquer água que se possa acumular. De seguida, coloque a Makiwara, não esquecendo que o braço de baixo deverá estar de frente para o karateka. Encha o buraco à medida que, alternadamente, vai apertando a terra.

Almofada e capa de protecção da Makiwara

Ao contrário dos velhos tempos, onde se usava palha enrolada no topo da Makiwara para amortecer o impacto, hoje em dia, é muito usual recorrer-se à almofada. Pode também fazer a almofada em casa. Para o enchimento, vai precisar de borracha de um pneu usado, ou de espuma de alta densidade. Para a capa da almofada, pode utilizar pele, ou napa, também conhecida por pele sintética. Neste caso, foram utilizados espuma e napa.

Corte o enchimento pelo tamanho desejado. Use uma camada muito fina de espuma, pois o objectivo é ter uma camada que proteja o suficiente os nós dos dedos. Se colocar demasiada espuma o feedback da Makiwara será reduzido.

Corte a napa pelo tamanho pretendido e aplique uma série de ilhós como demonstrado na imagem abaixo. Para aplicação dos ilhós poderá usar um alicate furador e um alicate de aplicação, em alternativa poderá furar a napa com uma tesoura e fazer a aplicação com as matrizes e um martelo.

Pode usar cola para colar a espuma à parte de dentro da capa da almofada, ou colocá-la na Makiwara, pondo a capa da almofada por cima, atando esta última com atacadores à parte de trás da Makiwara.

Como a Makiwara vai estar exposta a todo o tipo de condições atmosféricas, é útil ter uma capa que a proteja por completo. O único material necessário é napa, ou pele. Acima encontra-se apresentado o molde que poderá usar, bastando depois coser a lateral e o topo. Adicione pelo menos mais um centímetro à largura da Makiwara para não correr o risco de ficar apertada de mais.

Parabéns, agora a Makiwara está pronta a ser utilizada… bons treinos!

 

 

Este artigo e a Makiwara aqui demonstrados foram feitos com base nas informações descritas no seguinte site: http://www.fullpotentialma.com/how-to-build-a-makiwara/

Read more...

O que fazer nas férias? Parar ou dar o máximo?

No Évora Dojo o mês de Agosto é sinónimo de final de época e férias. Mas então, o que fazer? É certo que o descanso é parte essencial do treino, mas não será um mês tempo de mais? Para não perder a condição física adquirida ao longo de toda uma época há exercícios que podemos fazer. Devemos continuar a treinar, mas com uma duração ou intensidade menor. Praticar outras modalidades como corrida, bicicleta, natação, salto à corda, ou ainda séries de flexões, abdominais, agachamentos, etc., são uma boa forma de complementar e dar continuidade ao trabalho feito durante a época que passou, permitindo regressar com uma boa condição física na época seguinte, sem termos de começar do zero. As férias são uma óptima altura que podemos aproveitar para estudar e rever a matéria adquirida no dojo, de modo a que os pormenores das katas, bunkais e outros exercícios não caiam em esquecimento. É essencial saber ouvir o corpo e se este nos pedir determinado exercício, mesmo que muito específico, porque não? Quando nos estiver a apetecer fazer determinada kata, a nossa técnica favorita, aquele pontapé, aquela sequência de técnicas, devemos fazê-lo, sempre com intensidade moderada. Muito importante também é hidratarmo-nos adequadamente, sobretudo com o calor que o mês de Agosto oferece, manter uma boa alimentação e, claro, aproveitar para descansar bem.

Em suma, nem parar, nem dar o máximo. É importante ir mantendo a condição física que alcançámos, no entanto, o corpo precisa de descanso e tempo de recuperação, para depois, na época seguinte, voltar em grande.

Boas férias!

Read more...

Estágio "Shiai Kumite" da FNKP - 1 e 2 Julho

A Federação Nacional de Karate – Portugal vai realizar uma ação de formação denominada “Comportamento Tático no Karate” que terá lugar nos dias 1 e 2 de Julho em Alcabideche. Os principais objectivos desta ação de formação são: identificar e conhecer os comportamentos tático-estratégicos em Kumite; aplicar os comportamentos tático-estratégicos em Kumite (ofensivo, defensivo); identificar as características dos competidores dos diversos continentes; tendências atuais e futuras dos comportamentos tático-estratégicos.

Esta iniciativa é destinada a treinadores de karate de todos os graus, bem como a todos os praticantes de Karate desde juvenil (12 anos) a sénior. A Coordenação Técnica está a cargo do Sensei António Oliva: Formador da WKF, 9º Dan da WKF, assistente treinador de várias seleções na Europa, Ásia e América, treinador de vários campeões do mundo e líder mundial na análise e desenvolvimento de treino tático- estratégico.

Download attachments:
Read more...

Hojo Undo - o segredo do treino suplementar

No Évora Dojo é comum fazermos sessões de Hojo Undo durante os treinos de karaté tradicional Goju-Ryu. Tais sessões consistem numa série de exercícios praticados com o auxílio de instrumentos de treino tradicionais. Estes exercícios permitem desenvolver força física, resistência, velocidade e coordenação muscular e são muito úteis pois permitem fazer uma transferência direta para as técnicas de kion, aumentando a sua potência e eficácia. É fantástico como com a prática metódica destes exercícios a técnica e capacidade física melhora de forma consistente. Partilhamos aqui alguma dicas e cuidados a ter quando praticamos Hojo Uno:

  1. Antes de começar a treinar, verifique se os instrumentos estão em boas condições.
  2. Deve respeitar e cuidar os instrumentos com cuidado. Levantar e pousar com control são momentos chave.
  3. Quando usar os instrumentos certifique-se de não entrar na área de ação de outra pessoa, uma vez que alguns dos instrumentos podem ser pesados e é comum serem movimentados com rapidez, o que os torna perigosos. Dispormo-nos em xadrez é um bom modo de evitar colisões.
  4. É importante conhecer sua condição física. Começe a treinar com pequenas cargas, com as quais aguente 20 a 30 minutos de exercício.
  5. Quando usar o kongoken, que é pesado (temos dois modelos - de 20Kg e 30 Kg), é melhor praticar com a ajuda de outros colegas de treino.
  6. Se você for destro, certifique-se de fazer duas ou três vezes mais repetições com a mão esquerda. deste modo vai desenvolver-se de modo mais equilibrado.
  7. Mantenha sempre uma postura correta durante a utilização dos instrumentos.
  8. Após o treino, certifique-se que coloca os instrumentos correctamente no seu lugar, em seguranca.

Deixamos aqui um vídeo de amostra das nossas sessões de Hojo Undo onde utilizamos os seguintes instrumentos: Chishi, Nigiri-game, Kongoken e Ishisashi. Esperamos por sí já no próximo treino.

Media

Read more...
Subscribe to this RSS feed